Plano e Relatório de Atividades

PLANO DE ATIVIDADES
Para o ano 2021

(Aprovado em Assembleia Geral realizada no dia 17 de novembro de 2020)

 

A proposta de Plano de Atividades apresentada pela Direção do Centro de Cultura Desporto da Segurança Social para o ano de 2021 foi elaborada considerando as limitações estabelecidas no âmbito da pandemia da Covid-19, as atividades e os projetos não concretizados, por limitações e constrangimentos impostos pelas autoridades de saúde publica, e os condicionalismos criados pela enorme quebra de receitas, resultante do confinamento das pessoas e do exercício de funções em sistema de teletrabalho de muitas centenas de trabalhadores.

O momento atual de pandemia é uma questão inédita, para a qual ninguém estava preparado.

Os direitos dos cidadãos, das suas organizações e associações profissionais e sociais não estão suspensos ou confinados.

Para o CCD, as pessoas e as suas necessidades, nomeadamente no âmbito da saúde, da solidariedade, do bem-estar cultural, físico e profissional, são questões centrais, e as prioridades associativas são a essência do trabalho associativo a desenvolver, em articulação com a Associação Nacional dos CCD.

Desconhecendo a evolução e os condicionalismos resultantes da pandemia da Covid-19, elaborámos o Plano de Atividades para o ano de 2021 em articulação com a Associação Nacional dos CCD e CCD de outras regiões, considerando:

–  a situação atual,

– os projetos e iniciativas não concretizados em 2020, por força das limitações impostas pelas regras e normas definidas das autoridades de saúde pública no âmbito da pandemia,

– as dificuldades de tesouraria criadas pelos atrasos injustificados na concretização dos apoios financeiros,

– a publicação tardia do Despacho da cooperação para o ano de 2020.

Em tempo de pandemia universal, o Plano valoriza projetos e atividades culturais e sociais e a solidariedade e prevê iniciativas desportivas a implementar de acordo com as normas de proteção de saúde pública.

O atual Governo não inverteu a política de desvalorização dos apoios atribuídos, nem corrigiu as diferenças de critérios relativos à cooperação estabelecida com outras associações do setor da Economia Social.

Para o ano de 2021, a ANCCD e o CCD de Lisboa continuarão a elaborar e a apresentar propostas que permitam acrescentar à cooperação e aos resultados finais maior eficácia, mais eficiência e uniformização de critérios e políticas de cooperação entre associações do setor da Economia Social.

A ANCCD e o CCD de Lisboa insistirão na necessidade do Governo e dos Institutos Públicos dignificarem e melhorarem a cooperação estabelecida, respeitando e concretizando compromissos assumidos, a qualidade do diálogo e as relações institucionais, para a construção de soluções e para a valorização do associativismo enquanto direito fundamental dos cidadãos, em geral, e dos trabalhadores da Segurança Social, em particular.

Os Despachos anuais da cooperação têm como objetivo atualizar as relações institucionais estabelecidas entre o Estado e os CCD. Em cada momento, refletem a intenção e a política dos Governos relativamente aos trabalhadores do Sistema Público de Segurança Social.

Em 2016, foi acordado com o Ministro e a Secretária de Estado da tutela normalizar, estabilizar e consolidar as relações do Governo com as associações dos trabalhadores do setor.

Os Despachos ministeriais da cooperação passaram a ter o Decreto Lei da Execução do Orçamento de Estado, como suporte base legislativo.

A ANCCD e os CCD, no âmbito do processo de elaboração dos Despachos ministeriais da cooperação, têm apresentado propostas e sugestões que simplifiquem procedimentos, alterem critérios inadequados e corrijam descriminações inaceitáveis. Estes contributos, até à data, não têm sido considerados pela tutela.

Estas propostas e sugestões, sendo corretas e atuais, serão repostas e constituirão uma importante oportunidade para o Governo concretizar em soluções as opiniões publicamente assumidas sobre a importância dos CCD na coesão social e profissional do setor.

A ANCCD e os Centros de Cultura e Desporto da Segurança Social defendem o Sistema de Segurança Social Pública, consagrado na Constituição da República Portuguesa, valorizam a cultura profissional, a qualidade do serviço prestado e a capacidade de resposta da Segurança Social às necessidades sociais dos cidadãos.

Os trabalhadores da Segurança Social conhecem, como ninguém, a natureza dos problemas, a qualidade e a capacidade do seu trabalho e os caminhos que podem melhorar a capacidade de resposta dos serviços e a credibilidade do Sistema.

Neste contexto, o CCD de Lisboa, em articulação com a ANCCD, prosseguirá a reflexão relativa ao funcionamento dos serviços e a capacidade de resposta do Sistema Público de Segurança Social às necessidades dos utentes e da comunidade em geral.

O CCD de Lisboa:

·         Continuará a desenvolver as suas atividades associativas, procurando soluções que considerem a área geográfica da região de Lisboa, salvaguardem e as normas e regras de saúde publica definidas, preparando o regresso, a outras atividades, logo que possível;

·         Preparará um manual e iniciativas de acolhimento aos novos trabalhadores do ISS, IP;

·      Implementará soluções que, em casos extremos, resultantes da pandemia do coronavírus, permitam manter o funcionamento, nomeadamente: do refeitório, do apoio médico e medicamentoso, da solidariedade aos associados, do acesso à biblioteca e iniciativas de cultura apoiadas, do apoio aos trabalhadores estudantes e seus familiares.

·      No Plano Específico

a) Área económica

 A Gestão dos Bares e Refeitórios, realizada pelo CCD, mesmo no período de emergência, garantiu, em 2020, este serviço essencial prestado diariamente aos associados e aos trabalhadores em geral.

Apesar da enorme quebra de receitas e da discriminação dos Serviços Sociais da Administração Pública, manteremos esta atividade, com a qualidade dos produtos disponibilizados, respeitando os compromissos assumidos com os trabalhadores e prestadores de serviços ao CCD.

Estaremos sempre disponíveis, diariamente, mesmo nos momentos difíceis.

Insistiremos com os Órgãos da tutela para não discriminarem os trabalhadores da região de Lisboa, excluídos dos apoios previstos pelos Serviços Sociais.

b) Área Cultural, Recreativa e Social

1.1       

Durante o período da pandemia: 

·         Realizaremos 3 rastreios anuais e uma consulta médica gratuitos para os associados;

·         Apoiaremos os associados e familiares diretos no Transporte para Tratamentos e Atos Médicos;

·         Daremos particular apoio a iniciativas solidárias e implementaremos a prestação de serviços nas áreas da enfermagem e da fisioterapia;

·         Apoiaremos o Plano Nacional de Vacinação;

·         Promoveremos uma campanha de Recolha de Sangue;

·         Manteremos os protocolos com a Optocentro, clínica de Medicina Dentária Infinit Smile, e a Escola de Medicina Tradicional Chinesa.

1.2        

·         Apoiaremos as atividades do Grupo Coral*;

·         Dinamizaremos as Danças de Salão*;

·         Manteremos as atividades de Pintura em Porcelana*;

·         Manteremos as dinâmicas culturais das 4ªs feiras, com o domínio das Artes e Engenhos, a História de Arte e outras expressões*;

·         Continuaremos o projeto da Biblioteca Itinerante e a Biblioteca Infantojuvenil*;

·         Manteremos a divulgação mensal de Livros e de Propostas Culturais comparticipadas.

1.3

·         Atribuiremos Prémios, em espécie, a Trabalhos Académicos e Científicos de índole Social, Cultural e outros, elaborados por trabalhadores do setor do distrito de Lisboa;

·         Atribuiremos Bolsas de Estudo a associados do distrito de Lisboa;

·         Manteremos a Linha de Crédito para aquisição de livros escolares.

1.4

·         Realizaremos convívios de Natal, nos locais de trabalho*;

·         Entregaremos a habitual lembrança de Natal aos associados;

·         Realizaremos o Encontro Nacional de Trabalhadores das ex. Caixas de Previdência, em novembro*;

·         Concretizaremos um convívio anual de trabalhadores aposentados*.

c) Área do Desporto 

Quando as normas de saúde pública o permitirem, retomaremos os projetos da prática de desporto e atividades de bem-estar, através do intercâmbio desportivo com outros CCD, da utilização do espaço -5 da sede nova para atividades físicas, e da implementação de novas dinâmicas como:

·         Caminhadas temáticas;

·         Passeios / caminhadas noturnas em Lisboa;

·         Passeios aos Bairros Tradicionais de Lisboa;

·         Fins-de-Semana Saudáveis no Centro de Férias da Praia Azul, com desporto, lazer, cultura e bem-estar; 

·         Iniciativas de Pesca; Minigolfe; Petanca; BTT; Surf;

·          Torneios de jogos de mesa.

d) Área do Associativismo e Informação

Informaremos os sócios  das iniciativas e atividades a desenvolver ou concretizadas através do correio eletrónico, da revista Busílis, do site do CCD e do CCD Informa.

Prepararemos e realizaremos o processo eleitoral dos Órgãos Sociais.

e) Em articulação com a ANCCD e outros CCD da Segurança Social:

·         Fim-de-semana Desportivo, no Gerês, em março (Caminhada, Petanca e Jogos de Mesa);

·         Encontro de Dirigentes dos CCD – “5 anos de Cooperação, balanço e perspetivas”, em março;

·         Observação da Natureza: Orquídeas Selvagens, no barrocal algarvio, em abril;

·         Jogos EUROS / Jogos da Amizade de 2021, em Portugal, no mês de maio (lhas ou Continente);

·         Concurso Nacional para Trabalhos Académicos e Científicos de índole Social, Cultural e outros, em língua portuguesa, até 08 de maio;

·         Convívio Stº António, em Lisboa dia 12 de junho;

·         Observação da Natureza: Caminhando por Manteigas em junho;

·         Conhecer a Europa: Viagem à Irlanda em setembro;

·         Encontro Desportivo e Cultural dos CCD da Segurança Social, de 30 de setembro a 04 de outubro;

·         Encontro Desportivo e Cultural dos CCD, em Alvor, de 30 de setembro a 04 de outubro, com a 2ª parte do Debate “Nós e o Serviço Público que prestamos”;

·         Organização da Assembleia Geral da EUROS, em Évora, em outubro;

·         Atribuição de 44 bolsas de estudo, até outubro;

·         Encontro de Padel e Voleibol, na Casa Pia de Lisboa e de Paintball, na Praia Azul, em novembro;

·         Viagem a Cuba, a concretizar logo que possível;

·         Concurso Nacional de Presépios, até novembro;

·         Calendário Anual de Secretária;

 

* Atividades e iniciativas a realizar logo que as normas e as regras de saúde pública o permitam.

 

Lisboa, 17 de novembro de 2020
A Direção

 

ORÇAMENTO DO EXERCÍCIO
Para o ano 2021

 (Aprovado em Assembleia Geral realizada em 17 de novembro de 2020)

 

1 – Introdução

A Direção do CCD – Centro de Cultura e Desporto dos Trabalhadores da Segurança Social de Lisboa e Vale do Tejo, apresenta o orçamento para o ano de 2021, mantendo os critérios metodológicos dos exercícios  anteriores, tendo por base  os valores contabilísticos do  presente exercício, considerando o atual momento em que a pandemia da Covid-19 afeta a vida dos cidadãos e limita a concretização de projetos e de iniciativas associativas.

O CCD propõe-se continuar a desenvolver as atividades estatutárias, nomeadamente no âmbito da solidariedade, do apoio e bem-estar social da saúde, da cultura, do recreio, do lazer, do entretenimento, da cooperação, do desporto, entre outras. 

As limitações financeiras, resultantes do atraso excessivo verificado na concretização da cooperação atempada estabelecida com o Estado, justificam a manutenção da solidariedade ativa com as estruturas sociais associadas, CCD Social e CCD Coop., que constam de iniciativas integradas e prestação de serviços de ação social e de intercooperação, procurando assim enquadramento do desenvolvimento das atividades para os sócios da associação.

O Orçamento para o ano de 2021 está elaborado considerando o equilíbrio entre todas as atividades estatutárias destinadas aos associados e seus familiares diretos.

2 – Previsão da atividade

A atividade do CCD é também condicionada pelas limitações económicas dos sócios, pela diminuição do seu poder de compra verificado há mais de uma década e pelo deficiente apoio do Estado.

A Direção, com os meios financeiros disponíveis, vai continuar a prosseguir a sua função social, cultural e desportiva junto dos sócios, procurando o equilíbrio financeiro que garanta o futuro da associação.

Os rendimentos esperados para o ano de 2021 serão:

Atividades            

86.000,00 Euros

Suplementares                 

44.290,30 Euros

Subsídios à Exploração 

117.000.,00 Euros

Apoios Instituições Economia Social        

12.500,00 Euros 

Total   ………………………………………

285.650,00 Euros

 

A estrutura dos rendimentos, evidência a função social da associação, refletindo a constituição formada por comparticipações dos sócios nas atividades desenvolvidas, quotas e apoios públicos e de estruturas de economia social.

 

Quanto à previsão dos custos da estrutura, é a seguinte:

Custos e Pelouros

215.000,00 Euros

Fornecimento de Serviços Externos        

28.743,37 Euros

Gastos por depreciação e amortização       

15.000.00 Euros

Perdas por imparidade                                

100.00 Euros

Outros gastos e perdas           

1000.00 Euros

Encargos Financeiros                            

100.00 Euros

 

259.943,37 Euros

 

 No orçamento constam descriminados os valores imputados a cada pelouro, a função principal da Instituição, que se prevê ser do valor de 215.000,00 Euros.

 

3 – Comentários à estrutura financeira

As dificuldades e limitações não têm afetado a estrutura financeira do CCD, nomeadamente a sua autonomia. Os rendimentos continuarão a ser suficientes para suportar os gastos, com resultado positivo.

4 – Conclusão

A Direção do CCD continuará a fazer esforços por forma a promover as atividades aproximando os sócios da associação, privilegiando a interligação  com as estruturas sociais a que está ligada e cuja atividade se desenvolve no mesmo meio social.

5 – Resultado esperado

O resultado líquido previsional é diminuto da ordem dos 346,93 Euros, valor que evidencia a preocupação social da associação, encaminhando todos os meios financeiros para o bem estar dos sócios.

 

Lisboa, 17 de novembro de 2020
A Direção

 

 

Relatório de Atividades do ano de 2019

(Aprovado por unanimidade em Assembleia Geral de 24 de junho de 2020)

 

No Plano Genérico

Os Centros de Cultura e Desporto da Segurança Social, reunidos em Conselho Nacional, no dia 19 de junho, decidiram por unanimidade adotar a caracterização genérica do relatório de atividades da ANCCD para os respetivos relatórios de atividade que, neste contexto, será parte integrante deste relatório.

 

No Plano específico, salienta-se:

a)

  1. O protocolo para as atividades na sede nova do ISS, IP foi concluído sem os condicionalismos inicialmente propostos;
  2. O protocolo de colaboração para a dinamização de atividades no Instituto de Informática, IP foi concluído e subscrito pelas partes;
  3. Foi reiniciado o processo de normalização das atividades sociais na ex. Colónia de Férias da Praia Azul, atualmente designado de Centro de Férias da Praia Azul;
  4. Uma parte substancial dos novos trabalhadores admitidos pela Segurança Social na região de Lisboa aderiu ao projeto associativo dos CCD;
  5. Foi concluído o processo de unificação do Centro de Cultura e Desporto do Centro Nacional de Pensões e o CCD da Segurança Social de Lisboa e Vale do Tejo;
  6. O processo de implementação da sede nova do ISS, IP, no início do ano implicou o encerramento dos cinco maiores bares e refeitórios do concelho de Lisboa. Em maio, foi inaugurado o novo refeitório da sede na Av. 5 de Outubro, mantendo -se as caracte­rísticas do serviço prestado.  Nos 8 meses foram servidas 113.394 refeições, um acréscimo de 4,43% comparativamente ao ano anterior.
  7. A sala atribuída pelo Conselho Diretivo ao ISS, IP ao CCD para atividades associativas não reúne condições para trabalho permanente.

b)

O CCD de Lisboa colaborou com a ANCCD:

  • Na apresentação de propostas e sugestões com o objetivo de simplificar e melhorar a qualidade da cooperação e os apoios estabelecidos pelo Estado;
  • Para a uniformização da cooperação estabelecida, e apresentação de propostas que eliminem a dualidade de critérios e a discriminação verificada, nomeadamente, na gestão de Bares e Refeitórios e de Equipamentos Sociais;
  • Na dignificou e valorização da cooperação, defendendo o estabelecimento de um diálogo real e efetivo para encontrar as melhores soluções para as questões pendentes;
  • Para reafirmar a necessidade de a cooperação refletir a natureza, os valores e os princípios de relacionamento, múltiplas vezes referido e salientado pelos membros do Governo que tutelam a Segurança Social pública;
  • Na valorizou da natureza do projeto associativo da ANCCD e dos CCD, como associações de trabalhadores do Sistema Público de Segurança Social, independentes do poder político, cujo objetivo final do seu trabalho, é o bem-estar social, intelectual e profissional dos trabalhadores;
  • Na elaboração de propostas para a institucionalização do conceito de atividades plurianuais, cuja planificação, organização e plano de pagamentos para a participação, possa ocorrer em dois ou mais anos;
  • Na valorizou da natureza do projeto associativo da ANCCD e dos CCD, como associações de trabalhadores do Sistema Público de Segurança Social, independentes do poder político, cujo objetivo final do seu trabalho, é o bem-estar social, intelectual e profissional dos trabalhadores;
  • Na elaboração de propostas para a institucionalização do conceito de atividades plurianuais, cuja planificação, organização e plano de pagamentos para a participação, possa ocorrer em dois ou mais anos;

No âmbito das Iniciativas e das Atividades:

1 – ÁREA DA CULTURA

  1. a) Espetáculos

Foram divulgados 33 espetáculos musicais, de teatro, concertos clássicos, de jazz, ballet, que ocorreram no Museu Oriente, Teatro Municipal de São Luis, Campo pequeno, Oceanário de Lisboa, Coliseu de Lisboa, Teatro Parque Mayer, Centro Cultural de Belém, Teatro Politeama, Teatro Tivoli BBVA, Teatro da Trindade, Teatro Armando Cortez, Teatro Villaret, Teatro São Luiz – Teatro Municipal, Parque dos Poetas – Oeiras, Casino Estoril, Pavilhão de Portugal – Lisboa (Parque das Nações), Altice Arena.

  1. b) Livros

Foram divulgados 27 livros dos autores, Gerónimo Stilton, João Tordo, Chico Buarque, José Luis Peixoto, Afonso Reis Cabral, Clara Cunha e Paulo Galindro, Miguel Esteves Cardoso, Robin Sharma, Elizabete Neves, Delia Owens, Yrsa Sigurdardóttir, Lewis Carroll, Irvin D. Yalom, Antoini de Saint-Exupéry, Mário de Carvalho, Carlos Ruiz Zafón, Daniel Kehlmann, Nicholas Sparks, Jeremy Dronf, Vitor Vila Verde, Frederic Martel, Floro Freitas de Andrade, Tiago Sousa Mendes e Pedro Santos Vaz, Ana Cláudia Quintana Arantes,  Michael Hjorth e Hans Rosenfeldt, António Lobo Antunes, Ricardo Araújo Pereira, Ana Kotowicz.

  1. c) Biblioteca  

A biblioteca do CCD, com mais de 600 livros divulgados, esteve à disposição dos associados. 

A biblioteca Infantojuvenil do CCD, com mais de 20 livros divulgados, esteve à disposição dos sócios. 

Ao longo do ano foram realizadas 57 exposições itinerantes, que circularam por 14 locais de trabalho, expondo uma considerável variedade de livros, que serviram de usufruto aos associados.

  1. d) Grupos culturais e Artísticos do CCD 

Os grupos culturais do CCD (Coro e Pintura em Porcelana), com cerca de 20 participantes, mantiveram a sua dinâmica nas respetivas áreas artísticas. 

  1. e) Atividades Terapêuticas

Foram desenvolvidas 144 horas de Massagem Tuiná/Acupuntura, frequentadas por 34 sócios.

2 – INFORMAÇÃO OS ASSOCIADOS

As atividades do CCD foram divulgadas através da emissão de 81 Notas informativas  “CCD Informa”;

A revista Busílis foi publicada com regularidade. 

3 – CONCURSO PARA TRABALHOS ESPECÍFICOS

No Concurso para “Trabalhos nas áreas Científicas, Académica, de Investigação, Cultural e outras”, foram contemplados cinco associados com 5 prémios.

4 – BOLSAS DE ESTUDO

Foram atribuídas 19 Bolsas de Estudo aos sócios e seus descendentes, que tiveram por base o fator social.

5 – ATIVIDADES PARA TEMPOS MAIS LIVRES / PROJETO RODA LIVRE 

O projeto “Roda Livre” reuniu quinzenalmente um grupo de 11 participantes que se debruçou sobre o tema “A História da Cidade de Lisboa”.  

Foram organizadas visitas à Casa dos Patudos – Alpiarça, com 27 participantes.

6 – VIAGENS, CONVÍVIOS CULTURAIS E RECREATIVOS 

Foram organizados e realizados programas de visita, em colaboração com a Associação Nacional dos CCD, Fim-de-Semana no Alentejo – Évora, Monsaraz, Alqueva, Moura e Portel, com 71 participantes, Sistelo e Pinheiros, Palácio da Brejoeira, Arcos de Valdevez, Melgaço e Monção, com 70 participantes, com uma participação global de 141 associados.

O Convívio de Stº. António, organizado pelo CCD de Lisboa contou com 192 participantes da região, num total nacional de 422 presenças.

Os Almoços Convívio dos Ex-Trabalhadores da Caixa da Indústria, realizados em 19 de janeiro e em 23 de novembro, contou com 192 e 134 participações, respetivamente.

7 – ÁREA SOCIAL

Foi prestado apoio a 3 trabalhadores estudantes, e 12 associados beneficiaram de uma linha de crédito específica para adquirirem livros escolares. 

Realizaram-se 700 rastreios da glicose, colesterol e tensão arterial, 24 Rastreios de Oftalmologia, 3 Exames de Optometria e Contactologia e 705 atos médicos.

Houve 23 Associados que beneficiaram de apoio para aquisição, a crédito, de medicamentos. 

79 Associados usufruíram de apoio para aquisição, a crédito, de óculos com receitas médicas. 

Foi prestado apoio financeiro solidário, sem juros, a 13 associados em situações sociais graves, num total  de 7. 589,38 euros.

No âmbito do Programa de Emergência Alimentar, foram disponibilizadas cerca de 20 refeições diárias a 13 associados com carência sócio económica. Verificando-se um total global de 1.544 refeições fornecidas ao longo do ano. 

Uma parte significativa destes apoios foi concedida por solicitação e em articulação com o Departamento de Recursos Humanos do ISS, IP.

8 – DESPORTO

Mantiveram-se as atividades de Futebol Salão, Caminhada, Petanca, Paintball, Escalada, Rapel e Jogos de Mesa (damas, dominó, crapô, king, sueca e xadrez). 

O CCD esteve presente em todos os eventos organizados pela ANCCD, nas modalidades de king, damas, dominó, crapô, Futsal e Petanca.

As equipas do CCD participaram nos Jogos Euros 2019 de 27 de Abril a 04 de Maio, com 13 participantes.

9 – BARES E REFEITÓRIOS

A gestão dos bares e refeitórios foi concretizada mantendo as características do serviço prestado.

A discriminação imposta pelos Serviços Sociais da Administração Pública aos trabalhadores da segurança social de várias regiões, nomeadamente em Lisboa, não permitiu responder melhor a este serviço essencial.  

A concentração e da transferência de serviços da segurança social do concelho de Lisboa, iniciado em janeiro e concluído em maio, e a implementação de uma sede nacional do ISS, IP num local único, permitiu uma melhor coordenação da área económica, com uma política de aquisição e de utilização dos produtos, muito próxima das necessidades reais.

Cinco bares e os refeitórios do concelho de Lisboa suspenderam as atividades, que foram retomadas em pleno, apenas em maio, provocando uma redução significativa nas receitas da atividade no primeiro trimestre do ano. Nos restantes 8 meses, foram servidas 113.394 refeições, que apesar das dificuldades, representaram um acréscimo de 9,34%, comparativamente ao ano anterior. O resultado final da gestão foi positiva.

10 – As seguintes atividades foram realizadas em cooperação com a ANCCD:

– De 27 de abril a 04 de maio – Jogos Euros 2019;

– De 31 de maio a 01 de junho – Visita a Sistelo e Pinheiros, Palácio da Brejoeira, Arcos de Valdevez, Melgaço e Monção;

– Em 08 de junho – Convívio de Stº. António em Lisboa;

De 02 a 10 de setembro – Visita à Áustria/Suiça;

– De 09 a 13 de outubro – Assembleia Geral do Euros em Mechelen (Bélgica)

De 15 a 17 de novembro – Fim-de-Semana no Alentejo – Évora, Monsaraz, Alqueva, Moura e Portel;

– Em 12 de dezembro – Encontro Anual de Natal de dirigentes dos CCDs

  

 Lisboa, 24 de junho de 2020
 A Direção

 

 

RELATÓRIO DE GESTÃO

ANO 2019

(Aprovado por unanimidade em Assembleia Geral de 24 de junho de 2020)

 

 

f – ANÁLISE DE ATIVIDADE ECONÓMICA DO CCD

 Durante o exercício de 2019 a actividade do CCD foi a seguinte:

Rendimentos

Atividades (comparticipações dos utentes)  ………………      233.573,46 Euros                 

Subsídios à Exploração ……………………………………………        95.917,68 Euros

Outros rendimentos e ganhos  ………………………………….        37.163,27 Euros

Total dos Rendimentos ………………………………….    266.654,41 Euros

 

Os gastos tiveram a seguinte distribuição:

Atividades e Pelouros  ……………………………………    331.567,06 Euros

     Pelouros

Desportivo   ……………………………………………………     2.174,86 Euros

Cultural     ………………………………………………………    229.682,25 Euros                   

Social   ……………………………………………………………       3.793,34Euros

Cooperação  ……………………………………………………       94.565,71 Euros

Fornecimento e Serviços Externos  …………………….      18.963.82Euros

Outros gastos e perdas  ……………………………….……         6.503,28Euros

Depreciações e amortizações ……………………………..       4.542,63 Euros

Total dos Gastos ………………………………………  361.576,79 Euros

 

Os gastos continuam equilibrados e integralmente suportados pelos proveitos do CCD.

O resultado líquido é positivo, no montante de 5.077,62 Euros.

1 – Comentários ao Balanço

No balanço, continua a evidenciar-se a importância das disponibilidades, no montante de 484.347,96 euros, garantindo com segurança a continuidade da atividade.

O grosso do passivo é constituído por obrigações a regularizar com as estruturas de economia social associadas e dividas a fornecedores no valor apenas de 1.814,66 euros.

2 – Capitais Próprios

Os capitais próprios constituídos por fundo social e resultado líquido atingem os 599.272,07 euros representando uma autonomia financeira de 69%.

Nos capitais próprios reflete-se também o efeito da integração do CCD da Caixa Nacional de Pensões do montante de 138.742,29 euros.

3 – Proposta de Aplicação de Resultados

O resultado líquido no montante de 5.077,62 Euros, pelo seu valor, evidencia a função do CCD enquanto instituição de Economia Social, procurando em simultâneo satisfazer necessidades e interesses dos sócios e salvaguardar o equilíbrio financeiro.

O resultado propõe-se que se integre totalmente no Fundo Social, conforme propõem os Estatutos.

 

Lisboa, 24 de junho de 2020
A Direção

 

 

Plano de Atividades
para o ano de 2020

(Aprovado Assembleia Geral de 19 de novembro de 2019)

 

Para o ano de 2020, a Direção do Centro de Cultura Desporto da Segurança Social propõe a seguinte proposta de Plano de Atividades, elaborada considerando as iniciativas e os eventos aprovados pela Associação Nacional dos CCDs, as atividades tradicionais, as circunstâncias resultantes da concentração de serviços no concelho de Lisboa e a integração dos trabalhadores do Centro Nacional de Pensões no projeto associativo da região de Lisboa.

O CCD de Lisboa
No plano genérico:

– Continuará a apoiar a ANCCD nos processos de simplificação e de reforço da cooperação entre
o Estado e os Centros de Cultura e Desporto do setor, com o objetivo de melhorar a qualidade
dos apoios estabelecidos com o Estado e a sua concretização em tempo útil;
– Trabalhará para a uniformização da cooperação, sem dualidade de critérios e discriminações
verificadas nomeadamente nos apoios logísticos, na atribuição de meios previstos e na gestão
de Bares e Refeitórios e de Equipamentos Sociais;
– Utilizará o diálogo como método para construir as melhores soluções para as questões
pendentes;
– No âmbito dos Institutos Públicos, reafirmará a necessidade de a cooperação ser concretizada
de acordo com os princípios e as soluções acordadas;
– Continuará a trabalhar, para a consolidação da cultura profissional do setor, para o bem-estar
profissional e social dos associados e para a defesa da qualidade dos serviços prestados aos
cidadãos.

No plano específico:

– Retomará as atividades suspensas no período de transição dos serviços do concelho de Lisboa
para a sede nova, logo que o ISS,IP disponibilize os meios necessários à respetiva concretização;
– Procurará as melhores soluções para as dificuldades criadas pela reduzida dimensão das estruturas do bar e do refeitório;
– Continuará a desenvolver os projetos associativos aprovados pelos trabalhadores da segurança social do distrito de Lisboa, independentemente da sua localização, unidade orgânica ou categoria profissional, denunciando atropelos ou condicionalismos que visem bloquear o exercício das atividades associativas;
– O acolhimento aos novos trabalhadores do ISS, IP é essencial para a coesão do setor, para a integração de quem no futuro garantirá que a segurança social continuará a ser um setor determinante das funções sociais do Estado. Amanhã, os novos trabalhadores, serão também os CCDs. Neste contexto, o CCD de Lisboa insistirá na concretização do compromisso assumido pelo anterior Governo para incluir a questão dos CCDs, nos programas de formação profissional.  
– Incluir o CCD na apresentação do ISS, IP aos novos trabalhadores.
 
Projetos e atividades em conjunto com a ANCCD
– Fumeiro em Bragança e Vinhais a 7 e 8 de fevereiro;
– Fim-de-semana desportivo (Caminhada, Petanca e Jogos de Mesa), no Gerês, em março;
– Observação da natureza caminhando. As Orquídeas Selvagens, no barrocal algarvio, em abril;
– Concurso nacional para trabalhos académicos e científicos de índole social, cultural e outros,
apresentados na língua portuguesa, em maio;
– Debate "Nós e o Serviço Público que prestamos" realizado em dois momentos, um na semana de 8 de maio e outro no Encontro Desportivo e Cultural dos CCDs, em Alvor;
– Jornadas da Solidariedade e Segurança Social, de 4 a 8 maio, com início do debate;
– Viagem a Cuba de 04 a 19 de maio 2020;
– Convívio de Sto. António, em Lisboa, a 13 de junho;
– Observação da Natureza: Caminhando por Manteigas, em junho;
– Viagem à Irlanda em setembro;
– Encontro Desportivo e Cultural, em Alvor, Algarve, de 30 de setembro a 04 de outubro, com
segunda parte do debate "Nós e o Serviço Público que prestamos"
– Encontro de Padel e Voleibol, na Casa Pia de Lisboa e de Paintball, na Praia Azul, em novembro;- – – —  – Concurso nacional de presépios, em novembro;
– O São Martinho em Lisboa;
– Passeios noturnos em Lisboa

Outros projetos, os eventos e as atividades:
– Apresentação de projeto para uma Creche e Jardim-de-Infância na cidade de Lisboa (projeto
plurianual).
 
Área Cultural, Recreativa e Social             
– Apoiar e manter as atividades do Grupo Coral;
– Dinamizar as Danças de Salão;
– Apoiar e manter as atividades de Pintura em Porcelana;
– Apoiar e manter a dinâmica das 4ªs feiras com o domínio das Artes e Engenhos, a História de
Arte e outras expressões culturais;
– Manter e alargar o projeto da Biblioteca Itinerante e a Biblioteca Infanto-Juvenil;
– Manter a divulgação, mensal, de Livros e de Propostas Culturais
– Atribuir Prémios em espécie, a Trabalhos Académicos e Científicos de índole Social, Cultural e
outros, elaborados por trabalhadores do setor do distrito de Lisboa;
– Atribuir Bolsas de Estudo a associados do distrito de Lisboa;
– Manter a Linha de Crédito para aquisição de livros escolares.
– Realizar convívios de Natal, nos locais de trabalho;
– Entregar a habitual lembrança de Natal aos associados;
– Realizar o Encontro Nacional de Trabalhadores das ex. Caixas de Previdência, em novembro.
– Realizar Rastreios e Consulta Médica, pelo menos uma vez por ano;
– Apoiar os associados e familiares diretos no Transporte para Tratamentos e Atos Médicos;
– Apoiar o Plano Nacional de Vacinação;
– Promover a campanha de Recolha de Sangue.
– Apoiar e manter os protocolos com a Optocentro, clínica de Medicina Dentária Infinit Smile, a
Escola da Maria e a Escola de Medicina Tradicional Chinesa.

Área do Desporto
Disponibilizadas as condições necessárias para os associados praticarem desporto, através do intercâmbio desportivo com outros CCDs, a utilização do espaço -5 da sede nova para atividades físicas e a implementação de novas dinâmicas como:

– Caminhadas temáticas;
– Passeios / caminhadas noturnas em Lisboa
– Passeios aos Bairros Tradicionais de Lisboa
– Fins-de-Semana Saudáveis no Centro de Férias da Praia Azul, com desporto, lazer, cultura e bem-estar;
– Iniciativas de Pesca; Minigolfe; Petanca; BTT; Surf;
– Torneios de jogos de mesa;

Área do Associativismo e Informação 
Informar os sócios, das iniciativas e atividades a desenvolver ou concretizadas através do
correio eletrónico, da revista Busílis, do site do CCD e do CCD Informa;

Área económica
Manteremos o tipo de Gestão dos Bares e Refeitórios, no âmbito do serviço prestado e da qualidade
dos produtos disponibilizados. Insistiremos com os Órgãos da tutela para deixarem de discriminar os
trabalhadores da região de Lisboa, excluídos dos apoios previstos pelos Serviços Sociais.
  
Lisboa, 07 de novembro de 2019
A Direção

 

 

 

ORÇAMENTO ADMINISTRATIVO
PARA O EXERCÍCIO DE 2020
consulte aqui

 

 

 

ORÇAMENTO DO EXERCÍCIO
Ano 2020

(Aprovado em Assembleia Geral de 19 de novembro de 2019)

 

1 – Introdução

A Direção do CCD – Centro de Cultura e Desporto dos Trabalhadores da Segurança Social de Lisboa e
Vale do Tejo, apresenta o orçamento relativo a 2020, seguindo a metodologia dos anos anteriores e
que toma por referência os valores contabilísticos do ainda presente exercício.
O CCD vai continuar a promover as atividades previstas nos seus estatutos nomeadamente no âmbito
do desporto, da cultura, do recreio, do lazer, do entretenimento, cooperação, apoio, bem-estar social e 
solidariedade aos sócios.

As limitações financeiras resultantes da irregularidade da concretização da cooperação estabelecida
com o Estado, obrigam a Direção a continuar a solidariedade com as estruturas sociais associadas,
CCD Social e CCD Coop. e que constam de iniciativas integradas de acção social e de
intercooperação, procurando, assim, o melhor enquadramento das atividades para os sócios da
associação.

Tenha-se em conta que toda a ação do CCD está vocacionada para o apoio aos sócios nas vertentes
que estão definidas nos Estatutos, procurando o equilíbrio possível de todas delas.

2 – Previsão da atividade

A atividade do CCD, tal como temos afirmando sucessivamente ao longo destes anos, continuará
condicionada pelas limitações económicas dos sócios e pelo deficiente apoio  do Estado.
A Direção com os meios disponíveis vai prosseguir a sua função social e cultural junto dos sócios,
procurando o equilíbrio financeiro como garante do  futuro da associação.

Os rendimentos esperados para o ano de 2020 serão:
Atividades …………………………………………………………… 157.150,00 Euros
Suplementares  ……………………………………………………… 27.500,00 Euros
Subsídios à Exploração ………………………………………… 100.000,00 Euros
Apoios Instituições Economia Social ……………………… 1.000,00 Euros 

Total   …………………………………………………… 285.650,00 Euros

A estrutura dos rendimentos, reflete a função social da associação e será constituída por
comparticipações dos sócios nas atividades desenvolvidas, quotas e apoios públicos e de estruturas
de economia social.

Quanto à previsão dos custos da estrutura prevê-se a seguinte:
Custos e Pelouros                                                                 253.000,00 Euros
Fornecimento de Serviços Externos                                    15.885,50 Euros
Gastos por depreciação e amortização                               15.000,00 Euros
Perdas por imparidade                                                                100,00 Euros
Outros gastos e perdas                                                                100,00 Euros
Encargos Financeiros                                                                  500,00 Euros

Total dos gastos                                                                     284.135,50 Euros

No orçamento constam descriminados os valores imputados a cada pelouro, a função principal da
Instituição, que se prevê ser do valor de 253.000,00 Euros, identificando no quadro anexo a
importância de cada modalidade na atividade do CCD.
Este montante também está  dependente da capacidade financeira e económica dos sócios.

3 – Comentários à estrutura financeira

As dificuldades e limitações não têm afetado a estrutura financeira do CCD, nomeadamente a sua
autonomia. Os rendimentos serão suficientes para suportar os gastos.

4 – Conclusão

A Direção do CCD continuará a promoção das atividades e  a aproximação dos sócios da associação,
privilegiando a interligação  com as estruturas sociais a que está ligada.
5 – Resultado esperado
O resultado líquido previsional é diminuto da ordem dos 1.514,50  Euros, valor que “por si” evidencia a
preocupação social da associação.

Lisboa, 07 de novembro de 2019
A Direção

 

 

Relatório de Atividades
do ano de 2018

(Aprovado em Assembleia Geral de 12 de Março de 2019)

 

O Centro de Cultura e Desporto da Segurança Social de Lisboa e Vale do Tejo, concretizou as atividades
previstas, aprovadas em reunião de Assembleia Geral.

No Plano Genérico, salienta-se:

As alterações verificadas na política de relacionamento do Governo com os CCDs, as regras e os critérios
da cooperação aprovados na Assembleia da República, no âmbito do Orçamento de Estado, e a
concretização da cooperação entre o Estado e os CCDs, foi e é um fator determinante para a dinâmica
associativa e para os resultados obtidos que poderiam ser melhores, se fossem corrigidas dificuldades,
obstáculos e incompreensões, e construídas soluções adequadas, através de um diálogo efetivo,
construtivo e consistente.
Os apoios financeiros regulamentados foram deficientemente concretizados, com meses de atraso.
Os apoios sociais para trabalhadores do sistema público de segurança social com graves problemas
sociais, foram significativamente reduzidos, numa lógica inaceitável, de excluir quem trabalha.   
A inadmissível e injustificável discriminação imposta pelos Serviços Sociais da Administração Pública com a passividade dos Institutos da Segurança Social, aos trabalhadores da segurança social da região de Lisboa, na atribuição de apoios previstos para a gestão dos bares e refeitórios, é uma prática que prejudica quem diariamente utiliza esses serviços.

Na Área do Associativismo

Os Órgãos Sociais dos CCDs do Centro Nacional de Pensões e da Segurança Social de Lisboa e Vale do Tejo, em 02 de dezembro, decidiram proceder à reorganização associativa na região de Lisboa, criando nessa data, uma dinâmica associativa única e uniforme, que aproveitará o melhor dos dois mundos associativos.
A Associação Nacional dos CCDs realizou o VII Congresso que elegeu os seus Órgãos Sociais para o
mandato de 2019 a 2022, que incluem vários dirigentes do CCD de Lisboa, nomeadamente o Presidente
da Direção, a Vice-Presidente da Mesa do Congresso, a Vice-Presidente do Conselho Fiscal e outros
dirigentes dos Órgãos nacionais. 

No Plano Específico

1 – ÁREA DA CULTURA

a) Espetáculos
Foram divulgados 29 espetáculos de diferentes géneros, nomeadamente musicais genéricos, teatro,concertos clássicos, jazz, ballet, que ocorreram no Museu da Marioneta, Culturgest, Altice Arena,Campo Pequeno, Teatro Municipal de São Luis, Coliseu de Lisboa, Teatro da Trindade, Casino Estoril,Ruínas da Igreja do Carmo, Teatro Gymnásio no Espaço Chiado, Teatro Politeama, Teatro NacionalD. Maria II, Centro Cultural de Belém, Teatro Tivoli BBVA, Teatro Villaret, Cinema S. Jorge, FundaçãoCalouste Gulbenkian.

b) Livros
Foram divulgados 24 livros dos autores José Rodrigues dos Santos, Dilly Court, Cristina Valente,
Margaret Atwood, Carlos Ruiz Zafón, Paulino Castells, Heinz Konsalik, Valter Hugo Mãe, Nelson
Mandela, João Tordo, António Lobo Antunes, Paulo Coelho, Germano Almeida, Fredrik Backman,
Eugen Ruge, Scot Turow, Luis Sepúlveda, Robert Brindza, Lisa Wimgate, Carla Pais e Mia Couto.

c) Biblioteca  
A biblioteca do CCD, com mais de 588 livros divulgados, esteve à disposição dos sócios. 
Ao longo do ano foram realizadas 70 exposições itinerantes, que circularam por 14 locais de
trabalho expondo uma considerável variedade de livros, que serviram de usufruto aos associados.

d) Grupos culturais e Artísticos do CCD 
Os grupos culturais do CCD (Coro, Pintura em Porcelana e Danças de Salão), com cerca de 33
participantes, mantiveram a sua dinâmica nas diferentes áreas artísticas.

e) Atividades Terapêuticas
Foram desenvolvidas 157 horas de Massagem Tuína/Acupuntura; 21 horas de Taichi e 21 horas de
Chikung. Beneficiaram das sessões terapêuticas e das atividades 34 sócios.

2 – INFORMAÇÃO AOS ASSOCIADOS

– As atividades do CCD foram divulgadas através da emissão de 63 Notas informativas, o “CCD
Informa”;
– A revista Busílis foi publicada com regularidade.

3 – CONCURSO PARA TRABALHOS ESPECÍFICOS

– No Concurso para “Trabalhos nas áreas Científicas, Académica, de Investigação, Cultural e outras”
foram atribuídos 3 prémios a três associados.

4 – BOLSAS DE ESTUDO

– Foram atribuídas 14 Bolsas de Estudo aos sócios e seus descendentes, que tiveram por base o fator
social.

5 – ATIVIDADES PARA TEMPOS MAIS LIVRES / PROJETO RODA LIVRE 

– O projeto “Roda Livre” reuniu quinzenalmente um grupo de 9 participantes que se debruçou sobre
o tema “A História da Cidade de Lisboa”.  
Foram organizadas visitas ao Badoca Park, com 32 participantes, Caminhada Santa Rita – (Vimeiro) –
Praia Azul, com 59 participantes, Caminhada Torres Vedras – Praia Azul, com 21 participantes, num
total de 112 participantes. 

6 – VIAGENS, CONVÍVIOS CULTURAIS E RECREATIVOS 

– Foram organizados e realizados programas de visita, em colaboração com a Associação Nacional dos
CCDs, a Miranda do Douro, com 71 participantes, Dia da Segurança Social no Porto, com 44
participantes, Castelo de Vide/Marvão/Mora, com 27 participantes, São João em Braga/Santiago de
Compostela/Viana do Castelo, com 57 participantes, Viagem às Capitais do Báltico, com 40
participantes, com um total global de 239 participantes.
– O Convívio de Stº. António, organizado pelo CCD de Lisboa, contou com 156 participantes da região,
num total nacional de 455 presenças.

7 – ÁREA SOCIAL

– Foi prestado apoio a 2 trabalhadores estudantes e 17 associados beneficiaram de uma linha de crédito
específica para adquirirem livros escolares. 
– Realizaram-se 376 rastreios da glicose, colesterol e tensão arterial, e 1.000 atos médicos.
Houve 116 Associados que beneficiaram de apoio para aquisição, a crédito, de medicamentos. 
67 Associados usufruíram de apoio para aquisição, a crédito, de óculos com receitas médicas. 
– Foi prestado apoio financeiro solidário, sem juros, a 16 associados em situações sociais graves, num
total de 12. 126.78 euros.
– No âmbito do Programa de Emergência Alimentar, foram disponibilizadas cerca de 43 refeições diárias
a 18 associados com carência sócio económica. Verificando-se um total global de 8.962 refeições
fornecidas ao longo do ano. 
– Uma parte significativa destes apoios foi concedida por solicitação e em articulação com o
Departamento de Recursos Humanos do ISS, IP.

8 – DESPORTO

– Mantiveram-se as atividades de Futebol de Salão, Voleibol Misto, Caminhada, Petanca, Campismo,
Paintball, Escalada, Rapel e Jogos de Mesa (damas, dominó, crapô, king, sueca e xadrez). 
– O CCD esteve presente em todos os eventos organizados pela ANCCD, nas modalidades de king, damas,
dominó, crapô, Futsal, Petanca e Voleibol. 
– As equipas do CCD participaram no Encontro Desportivo e Cultural “Algarve”, de 17 a 21 de Outubro,
com 14 participantes.

9 – BARES E REFEITÓRIOS

– A gestão dos bares e refeitórios foi concretizada mantendo as características do serviço
prestado.
– A discriminação  imposta pelos Serviços Sociais da Administração Pública aos trabalhadores da
segurança social de várias regiões, nomeadamente em Lisboa, não permitiu responder melhor a
este serviço essencial.  
– No global, foram servidas 103.704 refeições, que representa um acréscimo de 4,43%
comparativamente ao ano anterior. 

As seguintes atividades foram realizadas
em cooperação com a ANCCD:

– De  09 a 11 de Março – Visita a Miranda do Douro;
– De 04 a 06 de Maio – Dia da Segurança Social (Porto);
– De 25 a 27 de Maio – Visita a Castelo de Vide/Marvão/Mora;
– De 22 a 24 de Junho – “São João, em Braga”  – Santiago de Compostela/Viana do Castelo;
– De 03 a 10 de Setembro  – Viagem às Capitais do Báltico;
– Em 09 de Junho –  Convívio de St.º António, em Lisboa;
– De 17 a 21 de Outubro – Encontro Desportivo e Cultural do Algarve;
– Em 18 de Dezembro –  Encontro Anual de Natal de dirigentes dos CCDs.

Lisboa, 22 de fevereiro de 2019
A Direção

 

 

RELATÓRIO DE GESTÃO
ANO 2018

(Aprovado em Assembleia Geral de 12 de Março de 2019)

 

ANÁLISE DE ATIVIDADE ECONÓMICA DO CCD

Durante o exercício de 2018 a actividade do CCD foi a seguinte:

Rendimentos

Atividades (comparticipações dos utentes) …………………   108.077,41 Euros           
Subsídios à Exploração ……………………………………………    119.328,46 Euros
Outros rendimentos e ganhos …………………………………….. 37.442,50 Euros
           Total dos Rendimentos ……………………..……………. 264.843,37 Euros

Os gastos tiveram a seguinte distribuição:
Atividades e Pelouros ………………………………………………… 225.524,57 Euros
Pelouros
Desportivo ……………………………………………………………………. 18.422,53 Euros
Cultural ……………………………………………………………………… 146.592,85 Euros
Social …………………………………………………………………………… 52.312,89 Euros
Cooperação……………………………………………………………………… 7.137,20 Euros
Fornecimento e Serviços Externos …………………………………. 26.945,58 Euros
Outros gastos e perdas…………………………………………………….  5.499,19 Euros
Depreciações e amortizações …………………………………….. 4.542,63 Euros

Total dos Gastos …………………………………………  262.511,97  Euros

Os gastos continuam equilibrados e integralmente suportados pelos proveitos do CCD.
O resultado líquido é positivo, no montante de 2.336,40 Euros.

1 – Comentários ao Balanço

No balanço continua a evidenciar-se a importância das disponibilidades, no montante de
334.632,18 euros, garantindo com segurança a continuidade da atividade,
O grosso do passivo é constituído por obrigações a regularizar com as estruturas de economia
social associadas e dividas a fornecedores no valor apenas de 3.387,00 euros.

2 – Capitais Próprios

Os capitais próprios constituídos por fundo social e resultado líquido atingem os 468.888,55 euros
representando uma autonomia financeira de 75%.

3 – Proposta de Aplicação de Resultados

O resultado líquido no montante de 2.336,40 Euros, pelo seu valor evidencia o papel do CCD
enquanto instituição de Economia Social, que procura satisfazer necessidades e interesses dos
sócios, salvaguardando sempre o equilíbrio financeiro.
O resultado propõe-se que se integre totalmente no Fundo Social, conforme propõem os
Estatutos.

Lisboa, 26 de Fevereiro de 2019
A Direção

 

 

 

Plano de Atividades para 2019


(Aprovado em Assembleia Geral de 27 de novembro de 2018)

 

A Direção do Centro de Cultura Desporto da Segurança Social propõe o seguinte projeto de Plano de Atividades para o ano de 2019, considerando, nomeadamente, a unificação dos serviços de Lisboa na sede nacional, a admissão de novos trabalhadores, as conclusões do VII Congresso da Associação Nacional dos CCDs, as atividades tradicionais e um novo conceito de iniciativas plurianuais.

 

No plano genérico, o CCD de Lisboa:

  • Apoiará e trabalhará com a ANCCD nos processos de simplificação, uniformização e de reforço da cooperação entre o Estado e os Centros de Cultura e Desporto do setor, com o objetivo de melhorar a qualidade dos apoios estabelecidos com o Estado e a sua concretização em tempo útil;
  • Trabalhará para a uniformização da cooperação estabelecida, eliminando a dualidade de critérios e a discriminação verificada nomeadamente na gestão de Bares e Refeitórios e de Equipamentos Sociais;
  • Privilegiará um diálogo real e efetivo para encontrar as melhores soluções para as questões pendentes;
  • No âmbito dos Institutos Públicos, reafirmará a necessidade de a cooperação refletir a natureza, os valores e os princípios de relacionamento, múltiplas vezes referido e salientado pelos membros do Governo que tutelam a Segurança Social pública;
  •  Institucionalizará o conceito de atividades plurianuais cuja planificação, organização e plano de pagamentos para a participação, possa ocorrer em dois ou mais anos;
  •  Assinalará a admissão de novos trabalhadores no sistema público de Segurança Social;
  • Participará em eventos e iniciativas que valorizem o Sistema Público de Segurança Social, nomeadamente o Dia da Segurança Social.

 

No plano específico

a) Na Sede nova do ISS, IP, o CCD:

  • Reporá a proposta de implementação de uma Sala Polivalente que permita realizar múltiplas atividades para o desenvolvimento de projetos e atividades, designadamente Ginástica de Manutenção, utilizando equipamentos apropriados, Dança, atividades de Tai-Chi Chuan, Chikung, Massagens Tuina e Acupuntura, Jogos de Mesa, Pintura e Artes Plásticas, Exposições, Ensaios do Grupo Coral, entre outras iniciativas e dinâmicas;
  • Disponibilizará um espaço, com equipamento apropriado, para Consultas de Oftalmologia e Estomatologia e outro para atos médicos e de enfermagem;
  • Criará espaços no bar / refeitório para Exposições Temporárias, Debates Específicos e Atividades Pontuais.

 

b) Acolhimento aos novos trabalhadores

O CCD manterá o procedimento de Boas Vindas aos trabalhadores que independentemente da natureza do seu vínculo contratual passem a desenvolver atividade profissional no ISS,IP, ou em outros Institutos Públicos de Segurança Social da região de Lisboa.

 

c) Novos projetos e atividades inovadoras

O CCD continuará a organizar eventos e iniciativas com dinâmicas recentes, como:

  • A Observação da Natureza – aves, flora e património – das Culturas e do Património Tradicional;
  • Atribuição de Diplomas / Recordação aos 35 e 40 anos de associado;
  • Convite aos associados mais antigos para participarem, de forma personalizada e como convidados de honra, nos principais eventos associativos e aos sócios mais jovens para nos conhecerem no dia-a-dia;
  • A implementação de uma Creche e Jardim-de-Infância na cidade de Lisboa (projeto plurianual).

 

d) Os projetos, os eventos e as atividades na área Cultural, Recreativa e Social

1.1

  • Apoiar e manter as atividades de Dança e do Grupo Coral;
  • Apoiar e manter as atividades de Pintura e da Arte Sacra;
  • Apoiar e manter a dinâmica das 4ªs feiras com o domínio das Artes e Engenhos, a História de Arte e outras expressões culturais;
  •  Manter o Livro da Quinzena a preço de custo;
  • Manter e alargar o projeto da Biblioteca Itinerante;
  • Implementar uma Biblioteca Infanto-Juvenil Itinerante.

1.2

  • Atribuir Prémios, em espécie, a Trabalhos Académicos e Científicos de índole Social, Cultural e outros, elaborados por trabalhadores do setor;
  • Atribuir Bolsas de Estudo;
  • Manter a Linha de Crédito para aquisição de livros escolares.

1.3

  • Realizar convívios de Natal, nos locais de trabalho;
  • Entregar a habitual lembrança de Natal aos associados;
  • Comemorar o Stº. Antonio, em Lisboa, no dia 08 de junho, sábado;
  • Visitar a Áustria e a Suíça em setembro;
  • Promover o Encontro Nacional de Trabalhadores das ex. Caixas de Previdência, em novembro.

1.4 

  • Realizar Rastreios e Consulta Médica, pelo menos uma vez por ano;
  • Apoiar os associados e familiares diretos no Transporte para Tratamentos e Atos Médicos;
  • Apoiar o Plano Nacional de Vacinação;
  • Promover a campanha de Recolha de Sangue.

1.5

  • Observar a Natureza no Alqueva; Caminhar por Aldeias Históricas do Sistelo, Pinheiros – Palácio da Brejoeira – e Vilarinho de Negrões.

1.6

  • Realizar Roteiros Tradicionais em Trás-os-Montes (Magusto) e no Alentejo – Beja, Évora e Portalegre (Tascas e Tasquinhas) -, em 3 datas distintas março, setembro e novembro.

 

e) Área do Desporto

Propomos apoiar e manter as condições disponibilizadas aos associados para a prática de desporto, o Intercâmbio desportivo com outros CCDs e a participação nas iniciativas previstas, nomeadamente:

  • Atividades em Braga, Miranda do Corvo e Casa Pia de Lisboa;
  • Caminhadas trimestrais;
  • Fins-de-Semana Saudáveis no Centro de Férias da Praia Azul, com desporto, lazer, cultura e bem-estar; 
  • Iniciativas de Pesca; Minigolfe; Petanca; BTT; Surf;
  • Torneios de jogos de mesa;
  • No Encontro Desportivo e Cultural dos CCDs da Segurança Social, no Algarve, de 27 de abril a 04 de maio, nos Jogos Europeus EUROS 2019, em Alvor de 27 de abril a 04 de maio, nas Jornadas da Solidariedade e da Segurança Social, integradas nos EUROS 2019, em Alvor, e no evento “Portimão Capital Europeia do Desporto 2019”.

 

f) Área do Associativismo e Informação

Melhorar a informação aos sócios, especificamente:

  • Divulgando regularmente as atividades do CCD e a sua importância no bem-estar dos trabalhadores e na cultura profissional do sector;
  • Prosseguindo o processo de ligação e informação personalizada aos sócios aposentados, por correio eletrónico;
  • Atualizando o site do CCD;
  • Publicando regularmente a revista Busílis;
  • Participando no Debate sobre a Qualidade do Trabalho, Cooperação e Associativismo, a organizar pela ANCCD.

 

g) Área económica

  • Manteremos o tipo de Gestão dos Bares e Refeitórios, de serviço prestado e a qualidade dos produtos disponibilizados;
  • Divulgaremos as ementas por correio eletrónico;
  • No âmbito da integração dos serviços numa sede nacional, iniciaremos em 2019 a automatização do pagamento dos serviços utilizados e dos produtos adquiridos nos bares e refeitórios.

 

h) Atividades Plurianuais

  • Participação nos Jogos EUROS de 2020, que irão decorrer no Mar Negro – Bulgária;
  •  Visita a Cuba, pós Fidel Castro, em 2020;
  • Fim do Ano na Madeira, em 2020.
  • Implementação de uma Creche e Jardim-de-Infância na cidade de Lisboa.

19 de novembro de 2018

Consulte o documento original do Plano de Atividades 2019 aprovado
na Assembleia Geral de dia 27 de novembro de 2018, em Lisboa.

Consulte o Orcamento para o Exercicio de 2019 e o Orcamento 2019
também aprovados na Assembleia Geral de dia 27 de novembro de 2018, em Lisboa.

 

Próximos Eventos

Fique a par dos eventos do CCD de Lisboa

ver agenda